19 de maio de 2017

Arapiraca inaugura novas instalações do Caps AD “Amor e esperança”

1

“Amor e esperança”, nome do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) de Arapiraca, simboliza os sentimentos empregados no serviço de acolhimento às pessoas com necessidades em decorrência  do uso de álcool, crack e outras drogas. E nesta sexta-feira(19), iniciou uma nova fase, quando a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, inaugurou as novas instalações do órgão.

A ação reflete a essência do programa “Arapiraca cuida de mim”, adotado pela atual administração, com ênfase na humanização dos serviços ofertados à população,   a fim de possibilitar uma melhor qualidade de vida para todos.  Com o novo e moderno espaço, localizado em área nobre da cidade, na Avenida Ceci Cunha, a equipe do Caps AD passa a contar com mais condições para executar o papel transformador de reinserção social dos seus usuários.

A cerimônia de inauguração das novas instalações contou com a presença do prefeito Rogério Teófilo, Fabiana Pessoa, vice-prefeita, Aurélia Fernandes, secretária Municipal da Saúde, Tâmara Iris, diretora do Caps AD, representantes dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário do Município, usuários e familiares do Centro, que acompanharam a bênção religiosa, homenagens e também participaram de um almoço de confraternização para celebrar a conquista do novo espaço.

Gratidão foi a primeira palavra na fala da diretora do Caps AD, na abertura da cerimônia. “Gratidão é a palavra de hoje. Feliz e agradecida pela sensibilidade do prefeito, da vice, da secretária da Saúde, por acreditarem no Caps AD. Também destaco o  trabalho da equipe do Centro, sempre baseado no amor e respeito aos assistidos e seus familiares”, declarou.

O prefeito Rogério Teófilo parabenizou o trabalho realizado pela equipe do Caps AD, destacou a importância do novo espaço para o município e adiantou uma outra conquista, publicada ontem pelo Ministério da Saúde, a liberação para a construção da primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Arapiraca, com início da obra para junho. “Com o programa Arapiraca cuida de mim, outras obras e serviços serão entregues,  dentro de um projeto de transformação para o povo, baseado  nos princípios da legalidade, transparência e verdade ” ressaltou.

“Eu destaco o apoio incondicional  e a parceria do prefeito, da vice e das secretarias para a realização de projetos de valorização da saúde e dos servidores. Um dos exemplos é este, a nova sede do Caps AD, com uma localização privilegiada e uma excelente estrutura física e de pessoal. Assim acreditamos que deve ser o trabalho de humanização e inserção social. Aproveito para informar que já estamos com projeto de implantação do Caps 3, local onde os usuários não somente passarão o dia, mas poderão dormir, acompanhados pela equipe multidisciplinar”, afirmou Aurélia Fernandes.

Homenagem

Ainda durante a cerimônia, a equipe do Caps AD prestou uma homenagem ao servidor Gilmar Barbosa, assassinado em dezembro do ano passado. No refeitório, segundo os amigos, um dos lugares preferidos pelo servidor, recebeu o seu nome. A homenagem, acompanhada por suas duas filhas, sensibilizou os presentes. Entre eles, o prefeito Rogério Teófilo, que sugeriu ampliar a homenagem. “Eu sugiro, que não somente o refeitório receba o nome do servidor, mas o próprio Caps”. Com aplausos, a sugestão foi acolhida e, a partir de agora, Caps AD “Amor e esperança” Gilmar Barbosa.   

Exemplo

No evento, também teve quem tirasse lágrimas dos presentes com o seu testemunho. Graciel Gonçalves, 26 anos, provou a todos a importância do papel transformador que o Caps AD proporcionou a sua vida. Ele contou que era usuário de drogas desde os 13 anos, mas somente há um ano, enxergou a necessidade de buscar ajuda.

“Eu cheguei numa situação de me sentir financeiramente e moralmente excluído da sociedade. Nesse momento eu percebi que precisava tomar um novo rumo pelo meu bem e da minha família. Quando cheguei ao Caps AD eu não tinha noção do tipo de trabalho que era realizado aqui. Hoje eu não me vejo sem a ajuda desses profissionais, que só tenho a agradecer. Eles não somente me ajudam com o problema do vício, mas também a  entender a minha realidade e me tornar um ser humano melhor. Aqui eu encontrei uma família, que me escuta, ajuda e que devolveu a minha esperança para vencer”, declarou Graciel Gonçalves.

 Caps AD “Amor e Esperança”

O Caps AD de Arapiraca é um dos três centros especializados de Alagoas e, atualmente, assiste a 1200 usuários. Nos últimos quatro meses estava com as suas atividades restritas, apenas com a parte laboratorial, trabalhando o controle da medicação dos usuários, em sala no  3º Centro de Saúde. A partir de agora, passa a funcionar com ampliação dos serviços e qualidade no atendimento, no horário das 7h às 18h.

De acordo com Tâmara Iris Azevedo, diretora do Caps AD, a mudança, muito aguardada,  representa um importante momento para a equipe de trabalho da unidade, usuários e  suas famílias.   A partir de agora, os usuários passam a contar com um espaço amplo, com dois consultórios de enfermagem, dormitório de descanso dos usuários, refeitório, salas de grupos, recreação e acolhimento, farmácia, consultórios médico, psicológico e psicossocial, recepção e cozinha.

“Mudança de grande esperança, já que o Caps AD é amor e esperança. O nosso lar, como costumamos chamar, agora está completo e passa a atuar com todas as suas funções, com programação durante todo o dia. Aqui, tratamos os usuários como nossos filhos, sem distinção, assim como o Criador nos ensinou. Sem olhar como eles são, de onde vieram e a condição social. Acolhendo, ouvindo, tocando. Costumo dizer que cada problema tem uma grande história e que nada é por acaso. Da mesma forma, a equipe está por amor ao serviço”, declarou a diretora.

Atendimento

O atendimento no Caps AD acontece de forma voluntária. O indivíduo deve buscar o serviço acompanhado de um familiar ou responsável, apresentando o cartão do SUS e documentos pessoas. Após o acolhimento, passa a ser assistido pela equipe disciplinar do centro, que é formada por psicólogos, assistentes sociais, psiquiatras, enfermeiros, técnicos de enfermagem, terapeutas ocupacionais, nutricionistas, educadores físicos, monitores e artesã.

Os profissionais do centro prestam serviço aos usuários e seus familiares, seguindo o princípio de reinserção social, por meio do acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.  O atendimento também se estende à família do paciente, que é acolhida e participa de grupos de apoio psicológico e social, semanalmente.

Segundo a diretora do Caps AD, não há restrição para o atendimento. Entre os pacientes estão desde menores de idade a adultos, homens e mulheres. No local, os usuários contam com serviços, desde o acolhimento em suas casas e o retorno, cinco alimentações diárias, e toda a assistência prestada pela equipe multidisciplinar, que avalia o perfil de cada um, baseada na história de vida, e define a plano de ação personalizado.

“Nós acreditamos no tratamento voluntário. E ele é o objetivo maior do Caps AD. Dessa forma, mostramos para a sociedade que é possível a reinserção social das pessoas dependentes de alguma droga lícita ou ilícita, normalmente tão marginalizadas. Ainda destaco a importância do papel da família, no entendimento de que dependência química está classificada como um transtorno mental e é uma doença crônica que pode ser tratada e controlada”, enfatizou Tâmara Iris.